Archive for the ‘literatura’ Category

Hace una semana escuché por la radio un programa dedicado a la felicidad. Allí dijeron que la felicidad se alcanza cuando algo que se deseaba logra conseguirse. Y que una gran felicidad llega cuando se consigue algo que se deseaba mucho. Aunque después, cuanda ya se ha conseguido, se termina la felicidad, porque la felicidad […]


Eu era um sujeito então perseguido pelas nostalgias. Sempre tinha sido, e não sabia como me livrar da saudade para viver tranqüilamente. Ainda não aprendi. E desconfio que nunca vou aprender. Mas pelo menos já sei uma coisa valiosa: é impossível se livrar da memória. Você não pode se livrar daquilo que amou. Isso tudo […]


rip salinger

01Feb10

eu li “o apanhador no campo de centeio” no fim da adolescência, com toda aquela pressão que a gente sente quando começa a ler um livro de que todo mundo fala maravilhosamente bem. gostei muito do livro, mas precisei ler “franny e zooey” para entender a genialidade de salinger. “um dia perfeito para os peixes-banana”, […]


Hoje era o dia 0 da nossa existência. O dia em que os problemas se resolveriam e tudo ficaria bem. Como diz a minha mãe: demasiadas expectativas. Tenho de aprender a aceitar as coisas, a deixar ir, a desligar. A aceitar. Aceitar é ser crescido. É aprender. Eu aprendo depressa, se a disciplina não for […]


a pré-saudade

01Feb10

a leda foi embora e ficou, logo no primeiro dia, a presença física da ausência dela. dá para sentir melhor o tamanho pequeno, a ocupação no espaço, os barulhinhos dos passos na escada, a chegada dela na cama para se aninhar ao meu lado. ouço todo o silêncio dela e ele ocupa alguns lugares marcados. […]


está em dúvidas sobre o que ler em 2010? a good magazine fez uma lista de títulos para você ler ao longo do ano, com sugestões de obras de autores como bolaño, camus e tostoi leiam: the 15 books you must read in 2010


silêncio

19Jan10

Não era desconfiança nem falta de companheirismo nem vontade de esconder. Era simplesmente instalar-se na convicção ou na superstição de que não existe o que não se diz. E é verdade que somente o que não se diz nem se exprime é o que nunca traduzimos. Javier Marías, em “Coração tão branco”


ciclos

14Jan10

No amor e no trabalho, acreditamos estar no reino das novidades, quando, na verdade, seja na cama seja no escritório, somos apenas épocas que se sucedem umas às outras. Martin Page, em “A gente se acostuma com o fim do mundo”


Logo para começar, a melhor coisa a fazer é varrer toda essa raiva da frente. A raiva do semelhante, do distinto, do consorte, de nós mesmos. A raiva dos mais queridos, dos desafetos, dos inimigos, dos cretinos, dos boçais, dos corrompidos, dos coitados. Do destino. Do passado. Do presente. Do ausente. Da falta de sorte, […]


caminhos

21Dec09

para entrar na onda do “alice in wonderland” de tim burton… achei aqui



Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 70 other followers